domingo, 20 de abril de 2014

Rotina Noturna

Não olhe para o espelho.
Você sabe que em algum momento você vai olhar. Você vai olhar para o espelho e vou estar ali por trás dele. Basta olhar para baixo e girar a manivela da pia. Pegue a toalha. Mantenha sua cabeça para baixo, olhe para seus pés quando você for se virar. Agora abra a porta, não olhe para a frente do corredor, é claro que ele vai estar bem ali te observando, apenas continue olhando para baixo, aja como se estivesse meio acordado, talvez você possa o enganar. Vire à esquerda e siga em frente, não preste atenção na sua visão periférica.
Vá para o seu computador e desligue-o, você sabe exatamente onde o interruptor fica, não olhe para o que está piscando na tela, você sabe que tudo o que está lá não é o que deveria estar. Apenas se ajoelhe e puxe o cabo de energia, isso só deve demorar cinco segundos ou menos.  Agora vire e caminhe até seu armário. Não ande muito devagar, nem ande rápido demais.
Tire sua camisa. faça isso rapidamente, e a mesma coisa com as suas calças. Abra a gaveta e apenas coloque-a lá, quem se importa se é apenas uma gaveta para as camisas, não olhe para o que tem lá, basta fechá-la. Uma camisa ficou presa no topo da gaveta, abra-a e a coloque rapidamente. Ok, agora continue a sua rotina. Não fique muito perto da parte inferior da cama, não deixe que ele agarre os seus tornozelos, é só deitar na cama.
Agora, arrume os travesseiros e deite de lado com as costas para a parede, mantenha os olhos fechados e ignore a parede gelada. Mantenha seus olhos fechados.
A melhor coisa que você pode fazer agora é ir dormir.


fonte: http://www.creepypasta.com/evening-routine/

Observar e Absolver

Existe um hospital psiquiátrico abandonado no topo de uma colina, em Worcester, Massachusetts. Uma vez a cada cinco anos, uma caixa velha e enferrujada aparece dentro do pátio desse hospital psiquiátrico.
Se você for até esse hospital e dormir nele por toda a noite, na parte da manhã, você encontrará um homem com uma camisa que diz "Observar e absolver" vai tirar do bolso uma fotografia. Essa imagem vai mostrar como você vai morrer. Se a imagem que está na fotografia é de um homem de pé diante de você, correr não vai adiantar.


fonte: http://creepypasta.wikia.com/wiki/Observe_and_Absolve

Controle

Ele finge ser seu amigo, ele finge gostar de você, pelo menos até que você dê o que ele quer. Depois ele o joga na sarjeta. Quem é esse? Sou eu. Eu te controlo. Eu manipulo todo mundo que eu conheço. Você é apenas um dos peões para o meu plano maior.
Eu o uso para conseguir o que eu quero, de uma maneira horrível. Eu coleto informações de vocês e depois os destruo. Mentalmente. Eu quebro sua mente, trago loucura loucura, raiva, depressão.
Este sou eu. E ninguém mais. Porque não há mais ninguém, só a mim. Mas, veja bem, eu não sou melhor do que ninguém, mas ninguém é melhor do que eu. Esta é a minha lógica, mas isso não faz com que eu não o controle. Você está vazio, quase sem alma. Quase. Alguns de vocês ainda tem mentes livres, embora não deve ficar livre por muito tempo quando você me conhecer. Mas a melhor parte nisso é que você nunca vai saber. Eu sou apenas uma pessoa comum para você, mas eu não sou.
Mas deixando isso pra lá, o que você está esperando? Vamos ser amigos.


fonte: http://creepypasta.wikia.com/wiki/Controller

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Olá amiguinhos, comeram bacon hoje ?
Só passei pra pedir que vocês continuem a mandar historinahs pelo meu e-mail, se não semana que vem não vai ter historinha dos leitores.
meu e-mail: joaopangelico@gmail.com
Hoje temos uma creepyapsta que fala de nazismo, então deve ser bem interessante.
Boa Leitura !

O Efeito Gündschau

Quando Hitler invadiu a Polônia em 1939, não havia experimentos acontecendo. Mas após a tomada de uma pequena aldeia polaca, no entanto, isso iria mudar. Em 1940, foi descoberto uma experiência que durou cinco dias conhecida como "O Efeito Gündschau". Ele testou o impulso humano para se viver se tentado com comidas e iguarias. O cientista foi morto por um colega logo após o experimento, mas o áudio que era registrado a cada dia por razões desconhecidas foi encontrado. Abaixo estão as fitas originais, traduzidas pelos aliados como prova para os julgamentos de Nuremberg. 
Dia 1
Aqui é doutor Claus Gündschau. Estou acompanhado por meus colegas médicos Viktor Übelgrentz e Josef Wehrmein. Hoje é o início de uma experiência de cinco dias, para testar se a fome pode vencer a dignidade e o senso humano. Temos quatro pessoas sendo testadas: dois grandes homens poloneses, uma mulher grávida, e a filha de um dos homens.
Nós alimentamos eles javali assado para o jantar, e deu melhor vinho do homens Alemanha. Os sujeitos reagiu como o esperado, ficaram muito felizes e surpresos. Fizemos pouco caso com estes seres humanos, se é isso mesmo o que eles realmente são, pois eles serão confrontados com grandes dilemas morais.
Dia 2
Todos os quatro indivíduos estavam aqui esta manhã. Eles foram servidos com algumas bolachas waffles no café da manhã, com suco de laranja e leite para acompanhar. Bacon, ovos e lingüiça também foram servidos. Era 01:30, horário central alemão, quando ambos os indivíduos do sexo masculino receberam a sua primeira tarefa. Foi dado para cada um deles uma faca. Seu objetivo era lutar até a morte.
Se eles se recusassem, ambos seriam fuzilados. Se eles não tiverem terminado nenhuma das outras disciplinas, eles seriam torturados, e em seguida, mortos. Como esperado, eles cooperaram. Ironicamente, o que ocorreu, o pai da menina acabou perdendo. A mulher e a menina ficaram chorando durante à noite, então tivemos que deixar o microfone desligado. O corpo do homem foi arrastado pelos guardas. Os três restantes comeram guisado. Vamos apenas dizer que nos colocamos um ingrediente extra na comida deles.
Dia 3
As cobaias foram acordadas esta manhã. Cada um recebeu croissants de queijo com manteiga para mergulhar dentro. Apesar de ser considerado, nenhuma droga foi injetada no homem ao longo da noite, dada que esta é uma experiência puramente mental; há variáveis ​​permitidas. O teste foi administrado em 15:35, hora central alemão. A médica entrou no quarto, e ajudou o homem a operar a mulher grávida. O homem, pensando que sua bolsa estourou, obedeceu.
O médico deixou a bolsa sobre a mesa após o nascimento. Em seguida, instruiu-o, em particular, para extrair o coração do bebê e consumi-lo. Considerando a alternativa, ele concordou após nossa forte persuassão. Ao entrar no quarto, ele abriu a bolsa. Não revelamos o conteúdo para a mãe, no interior, ele encontrou uma grande variedade de instrumentos cirúrgicos. Depois do que parecia ser uma oração, ele tomou o menino da sua mãe e atingiu a faca no seu peito. Assim, ele morreu instantaneamente.
Ele então cortou seu peito e puxou seu coração, ainda batendo. Ele então enfiou na sua boca, mastigando e chorando enquanto o bebê continuava a tossir sangue. Os guardas removeram o torso da criança enquanto o homem olhava os prantos da mãe. 
Dia 4
Três sujeitos permaneceram, a mãe sobreviveu graças a uma operação de emergência. Ela está fisicamente intacta, mas mentalmente alterada. Ela começou a murmurar para si mesma, e não demonstra emoção alguma. Uma terapia de eletrochoque foi considerada, mas considerada desnecessária. Para as cobaias foi servido salsichas.
A mulher foram dadas suas primeiras e última tarefas. Ela concordou, sem resmungar, o que era incomum. Primeiro ela teve a palavra "vadia" escrita em seus seios. Então, fornecendo ferramentas adequadas, pedimos a ela para cortar suas próprias fezes e ingeri-las. Vou admitir, nos divertimos muito com ela durante a experimentação. Devo notar que ela fez isso sem demonstrar dor ou desgosto, o que é intrigante. Então chamamos o homem.
O trabalho dele era levar o cadáver congelado do bebê e espancá-la até a morte com ele. Tristemente, ele concordou, fez o trabalho, e a mulher não parecia sentir dor. A menina, como previsto, estava fora de si. Algo inesperado aconteceu após o teste. O homem confortou a menina, explicando o melhor que pôde a situação. Duas cobaias permaneceram. 
Nota pessoal: O Doutor Übelgrentz tentou assassinar um guarda hoje, então, em coordenação com o protocolo, eu atirei nele. Doutor Wehrmein continua empenhado no experimento.
Dia 5
Nenhum deles dormia. Atormentados pelos eventos anteriores, eles se abraçaram, na esperança de sobreviver. Ambos foram alimentados com os melhores crépes da França como a sua refeição final. Ao homem foi dado a sua última tarefa em troca da promessa falsa de libertação, já que esta era a única maneira que poderia levá-lo a fazer qualquer coisa. Ele foi levado a ter uma relação sexual com a menina, em todos os orifícios.
Concordando, desta vez, sem aparente arrependimento, ele cometeu o ato, deixando-a quase morta. Em seguida, demos a ele uma serra, então disse a ele que a cortasse pela metade, começando com as pernas. Ele fez isso, não dando atenção aos gritos da menina, e, em seguida, ele finalmente ficou louco. Tomando a serra, cortou a própria cabeça. Isso é quase medicamente impossível, assumindo que seu cérebro estaria para fora antes que ele pudesse terminar.
Nota Final
Parece que as várias de promessas de sobrevivência conduziram esses animais assassinos a se mostrarem em sua verdadeira forma animal. Isto confirma tanto o meu e os pensamentos de Führer: Sob certas condições controladas, o homem pode devorar e matar o seu próximo.


fonte: http://creepypasta.wikia.com/wiki/G%C3%BCndschau_Effect

Humans Also Know how to Lick



Uma garotinha estava sozinha em casa com seu cachorro para a proteger. Quando a noite chegou, ela trancou todas as portas e tentou trancar todas as janelas mas uma se recusava a fechar.

Ela decidiu deixar a janela destrancada e então foi para cama. Seu cachorro tomou seu lugar de costume


No meio da noite ela acorda por causa de um som de gotas vindo do banheiro. A menina está muito assustada para ir ver o que era então ela estendeu sua mão para baixo da cama. Ela sentiu a lambida de seu cachorro e então voltou a dormir. Ela acorda novamente por causa do som das gotas, estende sua mão para baixo da cama, sente a lambida de seu cachorro e volta a dormir. Mais uma vez ela acorda, estende a mão e sente a lambida.embaixo da cama.

Agora curiosa sobre o som das gotas, ela se levanta e lentamente anda até o banheiro, o som dos pingos foi ficando mais alto de acordo que ela ia se aproximando. Ela chega no banheiro e liga a luz. Ela é recebida por um horrível sinal: Pendurado no chuveiro estava seu cachorro com a garganta cortada e o sangue caindo na banheira.

Alguma coisa no espelho do banheiro chamou sua atenção e ela virou. Escrito no espelho com o sangue de seu cachorro estavam as palavras "HUMANOS TAMBÉM SABEM LAMBER"

Autor: Desconhecido

terça-feira, 15 de abril de 2014

Espalhando a palavra

Sempre houveram muitos mitos em torno da crença de que certos seres corpóreos são capazes de atravessar para o nosso mundo de um outro plano de existência, geralmente com a intenção de causar o caos, assim o cão do medo afunda os dentes na humanidade. E se o próprio medo é o que os impulsiona para o nosso plano, para se alimentar, para ser nutrido?
Lembra quando você era criança? Você sempre estava com medo de monstros, ou do escuro, não é? De onde é que essas emoções vêm? A mente humana foi constituída para associar a escuridão e o que não podemos ver com o que nós não sabemos. Talvez o medo da escuridão, ou monstros, é apenas um mecanismo de defesa anti-predatório, um instinto. Mas e se eu lhe disse que é algo bem mais sinistro do que isso?
Você provavelmente está se perguntando o que esses seres tem a ver com isso - sem dúvida você pensou em fantasmas e figuras retorcidas, com traços faciais torcidos, mas eles são apenas parte do imaginário de contos inquietantes que apodrecem a mente, embora, no entanto, eles alimentam as verdadeiras criaturas que se escondem dentro as profundezas do pensamento humano, e são, portanto, consideradas úteis para o objetivo.
Muitos escritores adotaram seus piores medos e os manifestaram em livros, contos (ou creepypastas, como muitos chamam) e até mesmo filmes e jogos de vídeo. No entanto, sem o conhecimento deles, eles não estão apenas alimentando o desejo de tais emoções, mas estão despertando um poder muito mais obscuro.
Você sente isso? Você está tremendo. Você chegou a perceber o verdadeiro horror que se encontra na sua mente e não é deste mundo. Você continuará a escrever e espalhar isso e você sabe que não deveria, mas você não pode pará-lo, e com cada letra o seu coração se afunda ainda mais em um abismo emocional. Você provavelmente vai acabar colocando-a em um site ou rede social, onde muitos outros irão ler e reviver o horror que está acontecendo, pois ele é real.


fonte: http://www.creepypasta.com/spreading-the-word/

domingo, 13 de abril de 2014

A mais bela criatura

A criatura mais linda que eu já vi parecia nunca fechar as cortinas do seu quarto ao lado. Ela só se mudou há uma semana, mas era difícil não notar uma garota como ela. Eu acho que ela nunca tinha mevisto, mas acho que isso só tornou tudo muito mais interessante. 
Ela era jovem e magra, de pele tão branca quanto o inverno, e ela tinha um lindo cabelo de cor carmesim.Eu gostava de vê-la dançar todas as noites, e o cabelo dela incendiando o ar com cadamergulho e giroFiquei fascinada imediatamente, pegando todos os movimentos que eu podia veratráves daquele portal de vidro. Algumas noites ela dançava, e em outras ela apenas se sentava em sua mesa, às vezes falando em seu celular a noite toda. Isso durou até o fim do mês, quando eu vi o assassinato da primeira pessoa.
Era uma garota da escola, ela estava entusiasmada para entrar de cabeça no mundo das drogas"legais", ela era rejeitada por todos, mas não por ela. Era a vítima perfeitaEla sempre fez as coisas de modo perfeito. Foi a primeira noite que ela acendeu a luz tão cedoEla segurava um marcador de prata que combinado com a escuridão que logo começou a brilhar um vermelho escarlate. Não houve gritosnão havia nenhum somDeve ter durado apenas alguns segundos, mas parecia ter durado horas enquanto eu observava. Era espetacular.
Quando ela finalmente terminou, ela olhou pela janela e me olhou. Seu rosto, seu lindo rostofoi cuidadosamente revestido por uma camada de sangue fresco. Ela tinha o mais lindo sorriso, e os olhos mais sedutores e selvagens. Ela cruzou a linha do mais profundo e pecado mais obscuro. Meu Deus, como ela era linda. Seu cabelo vermelho caia tão graciosamente em seu rosto como um anjo caído.
Os próximos três iam e vinham da mesma formaum jogador de futebol bêbado, um ator de teatro recluso e uma garota gótica - todos eles eram os artistas desse maravilhoso show que ela fazia para mim durante todo o ano. Ela a convidou para o seu quarto, como uma velha amiga para falar dasúltimas fofocasEntão eu vi, o momento que eu sempre esperavaum sorriso insinuou em seus lábios.Ela sempre apagava as luzes para matar, o olhar em seu rosto lindo enquanto ela tirava suas vidas. Eu quase podia sentir o êxtase que ela deve ter sentido.
Um dia, eu finalmente tive a coragem de ir conhecê-la ou, talvez se juntar no seu show. Se eu estava realmente com sortetalvez eu pudesse ser a única a inspirar aquele sorriso terrivelmente sedutor.Comprei algumas roupas, um perfume caro. Eu até repintei meu cabelo de loiro, esperando que eu pudesse faze-lo brilhar como a dela. Mas naquela manhã recebi a pior notícia de todas.
Meus pais me disseram que estavamos nos mudando. Eles estavam temendo por mim, já que muitos adolescentes tinham desaparecido recentemente. Tentei contestar, mas o que eu posso fazer? Se eu falar para eles sobre a garota da minha janelaeu nunca mais a veria. Eles me mandaram embora imediatamente para ficar com um amigo da famíliaFoi difícil, eu fiquei tão triste por não estar no meu quarto novamente, para vê-la dançar para mim uma última vez.
Eu iria ficar muito triste sem ter meu espelho na parede. Quando eu saí da enfermaria, o meu médicorecomendou que eu o colocasse ao lado da minha cama, como uma janela. Eu pensei que isso seria estranho no começo, mas logo eu esqueci que estava lá. Desde que ele estava lá, no meu quarto,parecia que eu estava ao lado da mais bela criatura que eu já vi.


fonte: http://www.creepypasta.com/the-most-beautiful-creature/

sábado, 12 de abril de 2014

Eeeeeeeee !!
Hoje é dia de Historinha dos Leitores, e enviaram duas historinhas pra mim, duas ótimas historinhas, que, mesmo sem título não deixam de ser muito bem escritas.Boa Leitura


Historinha dos Leitores 01:
Nos anos 80, um garoto inglês de apenas 8 anos,após voltar da igreja, o pediu para os pais para ir numa loja de brinquedos que tinha no caminho, a loja era uma casa de madeira gigante e também muito velha, os pais disseram ao filho que podia escolher um brinquedo, então o filho apontou para uma boneca, das mais altas prateleiras da loja, o dono explicou que era uma boneca de porcelana antiga, de 1 metro de altura, já com os olhos arrancados e um vestido azul desbotado, mesmo assim, o menino insistiu que queria a boneca, os pais acharam estranha a atitude dos garotos, mas compraram. O vendedor advertiu que era a boneca da falecida filha dele, que morreu misteriosamente após 3 meses de ter tido contato com a boneca, ele falou que a filha era meio perturbada e numa noite chuvosa, arrancou os olhos da boneca e jogou-a debaixo da cama, na manhã seguinte, amanheceu morta.Quando chegaram em casa, naquela nebulosa tarde, o garoto pegou sua boneca e subiu para o quarto, duas horas depois, o filho se despediu dos pais e disse que ia dormir mais cedo, nada de incomum. Na manhã seguinte havia um bolor estranho na parede principal da casa, eles não se incomodaram muito, após o filho voltar da escola, aquela mesma cena se repetiu, ir para cama sem jantar.Um mês depois, os pais notaram que o filho estava mais pálido e quieto, então leveram ao médico, ele recomendou que os pais passassem mais tempo com o filho. No outro dia, quando o filho voltou da escola, os pais haviam trancado a porta do seu quarto com a boneca dentro, o filho vendo isso, abaixou a cabeça e disse "Eu quero brincar com a minha boneca!" os pais ignoraram o pedido, o filho então gritou "EU VOU BRINCAR COM A MINHA BONECA!!" e nesse exato momento, o lustre de velas caio e quase atingiu sua mãe.Os pais, ambos assustados, abriram o quarto do garoto,dois meses depois e os pais não conseguiam separar aquela boneca dele.Os pais começaram a notar comportamentos mais estranhos ainda no garoto, seus olhos estavam ficando pretos, toda vez que o garoto andava, via-se a sombra de uma pequena criança ao seu lado, quando passava por espelhos, surgiam misteriosas mãos.Os pais já enlouquecidos, chamaram um padre para ver se conseguia fazer algo pelo seu filho, naquele mesmo dia fazia 3 meses que o garoto ganhou a boneca, quando o padre chegou, chamaram-lhe e ele desceu com sua boneca no colo.O garoto deixou sua boneca em pé, ao seu lado, o padre perguntou se havia alguma coisa que ele queria lhe contar, nesse momento, ouviu-se um sussurro vindo da boneca que dizia "Mate todos! Ai poderemos brincar para sempre!" nesse momento, o garoto abaixou a cabeça e mãos começaram a bater nas portas e janelas, de todos os lugares.O padre os os pais muitos aterrorizados, juntaram-se no centro da sala, logo os vidros trincaram e as luzes se apagaram, ninguém sabe o que aconteceu depois disso, só acharam o corpo dos pais e do padre ensanguentados, sem os olhos e com um escrito de sangue dizendo "Você será o próximo! Minhas mãos procuraram dia e noite, até segurar os seus olhos eternamente!" 
Autora:
Camila Schastai


Historinha dos leitores 02
Nota do jornal local:
" O corpo do jovem Tomas M**, de 19 anos, foi encontrado essa manhã por agentes da polícia. Seu desaparecimento foi informado por sua mãe havia dois dias. Ele se encontrava em sua antiga residência, na rua *** número ***, o qual encontrava-se interditada pela polícia para investigação de um crime anterior. O corpo foi encontrado sentado no chão da sala, apresentava duas facas de caça, uma em cada mão, curiosamente limpas e relativamente novas.
O laudo do Iml acusa uma overdose de heroína. Sua mãe alega não saber do uso de entorpecentes pelo filho. Tudo indica um suicídio, uma vez que fora encontrado um bilhete ao lado do corpo do jovem.
" Querida mãe, sinto muito por este meu ato tão extremo, sei que você nunca irá compreender completamente, mas espero que me perdoe e acredite em mim. Preciso fazer isso e não esconderei nenhum dos meus motivos aqui. Diga ao idiota do meu pai que morri sem gostar dele.
Lembro que Ana ficou encantada com a árvore nos fundos da casa e de ter me pedido para pôr um balanço lá. Eu deveria ter feito isso...eu deveria ter feito tudo para ela.
Comecei a descer as escadas, ela me seguia e puxava a minha camisa. Chorava muito.

Desejamos a família muita paz neste momento."
Bilhete de Tomas:
Como vc sabe, nossas vidas mudaram bruscamente de um dia para o outro. Lembro claramente das lágrimas nos seus olhos quando veio me contar que meu pai iria sair de casa, que ele tinha um caso com aquela secretária cafona dele e que a vadia estava grávida. E ele realmente saiu para nunca mais mostrar a cara para a gente de novo. Lembro dos nossos bens congelados por causa do processo e da pensão ridícula que ele pagava. Nós falimos por causa daquele idiota, vc não teve culpa mamãe, por favor não carregue isso.
Por causa do pouco dinheiro vendemos nossa antiga casa e nos mudamos para uma menor, mais afastada. Mas ali poderíamos começar uma vida nova. Eu, você e Ana. Lembra o quão nova ela era? Tinha apenas oito anos, lembra? Sentia orgulho de minha irmãzinha por ela não chorar muito e por nunca ter reclamado. Ela sempre ficava feliz com coisas poucas e bobas. Normal de criança, né? Nossa casa "nova" era um lixo, com todo o glamour que ela poderia oferecer. As paredes eram velhas e descascadas, tudo em todo canto ou estava com defeito ou ia ficar, todo o percurso do chão rangia e era muito mal iluminada. Mas era o que podíamos ter.
Você começou um emprego novo de vendedora de porta em porta, e, fora isso, afundou na depressão dos remédios e álcool. Quando estava em casa estava dormindo, e quando não estava gostaria de estar. Não se culpe, eu e Ana nunca te culpamos, isso foi uma reação normal por 25 anos de casamento sendo jogado fora na sua cara. Você só precisava de tempo.
Tudo começou logo depois da primeira semana que nos mudamos. Eu dormia quando escutei batidas leves, mas desesperadas na minha porta. Acordei e fui abrir. Ana estava ali, com seu gato de pelúcia na mão e chupando o dedão da outra.
- Maninho, posso dormir com vc? Estou com medo.
Deixei ela entrar sem questionar. Afinal, ela era pequena, estávamos em uma casa nova e isso devia ser assustador para ela. Mas isso começou a se repetir, noite após noite, até eu começar a achar aquilo muito irritante. Uma noite, quando ela se deitou na cama, decidi conversar com ela, para ver se acabava com isso. "Do que vc tem medo - perguntei - do quarto novo?". Ela me olhou com aqueles olhos enormes e azuis (ela era tão lindinha, lembra? Sempre pensava no trabalho que ela ia me dar quando crescesse).
-Não, eu tenho medo do Vovô Ed.
Aquela resposta me deu calafrios e decidi deixar ela dormir antes de acabar com a conversa. No dia seguinte, ela estava no jardim, embaixo da árvore e fui falar com ela.
-Aninha, quem é o Vovô Ed?
Ela me respondeu baixinho, quase num sussurro.
-Ele não gosta que fale dele.
-Mas, vc pode falar para mim - retruquei- eu defendo vc.
-Eu sei, ele não gosta de vc. Acho que tem até medo. Fala que vc é muito velho e muito forte. Por isso eu durmo com vc. Lá ele não pode me pegar.
- E a mamãe? Ela também não é muito velha e forte?
- Não, a mamãe é fraca, ela toma coisas que a deixam muito fraquinha. Ela não me escuta bater.
Na hora fiquei entre o achar graça e o me preocupar, o fato dela falar que o tal Vovô Ed tinha medo de mim me divertia, mas a seriedade com que ela falava me preocupava, ela parecia realmente assustada. E como, diabos, ela sabia dos vícios da mamãe? Ela continuou.
- Ele morava aqui antes, sabe maninho, antes da gente. E ele adora criancinhas. Realmente adora. Ele fala que somos criaturinhas deliciosas.
Aquilo me fez gelar e me deu uma sensação de náuseas. Até que ponto vai a imaginação de uma criança? Estava certo que ela estava passando por muitas mudanças, isso com certeza abala qualquer um... Mas uma coisa assim já era demais. Era uma coisa assustadora. Decidi que iria deixar Ana dormir comigo por mais um tempo e procurar o psicólogo do colégio para conversar sobre o que fazer. Toda noite, então, era a mesma coisa.
-Maninho, posso dormir com vc?
Com o tempo, procurei mesmo o psicólogo da escola dela e marquei uma sessão. Levei ela até a sala dele, um cara simpático, e a deixei lá enquanto lia uma revista no corredor. Eles conversaram por quase duas horas e depois ele pediu para falar comigo.
-Tomas - ele disse - sua irmã apresenta um quadro normal de medo. Ela me contou sobre o seu pai, sobre sua mãe e a casa nova. Ela é apenas uma criança, não sabe canalizar o abandono de seu pai e as mudanças de atitude de sua mãe. Muito provavelmente por isso ela inventou um "ser", o tal do Vovô Ed, que por acaso só vc consegue combater. Isso reflete o medo que ela tem de ser abandonada por vc também, o que é extremamente natural. O que vc tem que fazer é mostrar para ela que vc não vai abandona-la e que esse ser não existe.
Relaxei ao ouvir essas palavras, afinal, ele era um especialista, certo? Agradeci e já ia embora quando vi um desenho em cima da mesa. Era inquietante e nojento. Tinha o formato de um rosto, mas havia rabiscos negros em certas partes, como se ali faltasse pele, os cabelos eram poucos em um couro cabeludo enrugado e cheio de feridas, sorria debilmente e isso mostrava a falta de muitos dentes. Os olhos eram incompletos, como se tivessem sido comidos. Pensei que minha irmãzinha tinha uma puta imaginação macabra.
Fomos para casa e decidi botar os conselhos do psicólogo em prática. Levei Ana para o quarto dela e mostrei que não havia nada de anormal ali, abri armários, levantei a cama. Fiz um verdadeiro teatro. Mas ela não parecia convencida, e naquela noite:
-Maninho, posso dormir com vc?
Tentei ignorar, mas comecei a ouvir o choro forte dela e as batias mais desesperadas.
- Por favor, maninho, por favor, ele quer me pegar, sei que quer. Não quero ir com ele. Ele vai me prender aqui com todos os outros.
Abri a porta.
-Que outros, Aninha?
-As outras criancinhas que ele pegou, maninho, vc não escuta elas chorarem?
Fiquei de coração partido e deixei ela entrar.
Mas tomei a decisão de que aquilo devia parar de um vez. Ana precisava aprender a dormir sozinha, e, Deus sabe o quanto eu estava cansado e irritado por acordar toda noite. Marquei então com uns amigos de ir à uma festa e de lá ir dormir na casa de um deles. Quando começou a escurecer, comecei me arrumar e vi Ana parada em minha porta.
-Vc vai sair, maninho?
-Vou.
-Mas vc vai voltar, não vai?
-Por favor, maninho, diz que vc vai voltar.
-Vou.- menti, olhei para a carinha dela, seu rostinho inchado do choro, os cabelinhos curtos e desgrenhados. - Me espera, tá?
E fui embora.
Na manhã seguinte, quando cheguei em casa havia viaturas e policiais em minha porta. Tentei entrar mas eles me barraram, e então eu vi eles retirando uma maca coberta, num formato pequenininho. Senti uma vertigem e desmaiei.
Quando acordei estava em um hospital e me contaram o que eu já sabia, que minha irmãzinha de alguma forma havia sido assassinada. Suspeitavam que alguém poderia ter entrado pela janela a noite, e como minha mãe estava dopada, nada ouviu. Pedi para ver o corpinho dela, mas me desaconselharam. Insisti.
Ela estava deitada nua naquelas macas de metal, seu rosto retorcido e inchado demonstrava o pavor que ela havia sentido. Ela apresentava marcas de mordidas e pedaços de carne faltavam em todo o corpo. Cortes e arranhões também se espalhavam. Havia uma marca roxa em volta de seu pescocinho. Alguém havia estrangulado e, literalmente, comido pedaços da minha irmãzinha. E eu sabia quem havia sido.
Saí de lá e fui direto para a biblioteca confirmar o que eu já sabia, a minha casa, na década de 50, havia sido de um tal de Edmund K***, um senhor acusado de raptar e assassinar crianças da região, mas nunca haviam achado provas e ele não foi condenado. Morreu na própria casa e seu corpo só foi descoberto pelo mal cheiro que tomou a região.
Lembrei do rosto de minha irmã quando fui embora naquela noite e tomei uma decisão, a mais calma e fria da minha vida.
Comprei duas facas de caça, bem resistente e fortes do mesmo homem que comprei uma dose absurda de heroína, pensei em um jeito que eu não ficasse debilitado após a morte. Fui para casa.
"Ele não gosta de vc. Acho que tem até medo"
" E ele adora criancinhas. Realmente adora. Ele fala que somos criaturinhas deliciosas."
" Vc é muito velho e muito forte"
Isso tudo passou pela minha cabeça enquanto preparava minha dose na seringa.
Esse filho da puta pegou a minha irmã. 
Mas nunca mais ele poderá encostar nela.
Porque agora eu que estou indo pegar ele."

Autora: Lara Gonzalez

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Operação Cegueira da Neve

Antes do surgimento das televisões, os rádios eram amplamente utilizados como um meio de transmitir notícias e anúncios. Na Segunda Guerra Mundial, as estações de rádio rebeldes usaram a Quinta Sinfonia de Beethoven, com a repetição do "V" em códigos morse para indicar a vitória. Não demorou muito para que o governo encontrasse uma maneira de usá-la para transmitir mensagens subliminares.
Não foi uma tarefa fácil, a questão era esconder a mensagem bem, mas ao mesmo tempo deixar claro instruções para o alvo. Alguns psicólogos do governo proporam atacar o inconsciente com a hipnose. Por exemplo, um programa de rádio exibe a notícia sobre um alvo político e logo em seguida segue com uma tragédia ou uma história criminal, para os ouvintes casuais, pensariam que essas são as mesmas notícias, a nossa mente junta as suas coisas para simplifica-las. A razão pela qual esse tipo de coisa ser tão difícil de detectar é simples: Não são dadas falsas notícias, portanto, ninguém reclamaria.
Alguns psicólogos do governo estavam céticos sobre a hipnose inconsciente, e então se voltaram para um método mais científico para fazer a lavagem cerebral dos ouvintes. Quando os militares estavam à procura de um canal de rádio codificado para transmitir informações de batalha, eles encontraram uma onda sonora que apenas certos indivíduos poderiam ouvir. No início, eles pensavam que isso acontecia porque a zona de radar estava à um determinado nível de profundidade do oceano, onde o radar não conseguia detectar os submarinos. No entanto, verificou-se mais tarde que o sonar do navio de guerra foi afastado devido à temperatura da água e pressão, e a onda sonora relacionada mais tarde foi chamado de ultra-som.
Após mais investigação sobre o ultra-som, os cientistas do governo perceberam que apenas as pessoas com idade inferior a 25 anos poderiam ouvir esta onda sonora, o que era perfeito para uma lavagem cerebral, porque é mais eficaz quando feita para jovens ouvintes. O governo colocava guinchos do radar ultra-som ao longo de países ou pessoas que não concordavam com suas idéias. O resultado desses esforços de lavagem cerebral era impossíveis de serem monitorados, assim, a sua eficácia não foi capazes de ser bem determinada.
Com o surgimento da televisão, o governo suspendeu novas pesquisas sobre a hipnose em onda sonora devido ao declínio do uso do rádio. Em vez disso, o governo se concentrou em como usar mensagens subliminares visuais para fazer lavagem cerebral dos cidadãos. Por exemplo, os anúncios publicitários associados a uma família feliz, com imagens de águias e da bandeira americana, junto com notícias associadas a morte de políticos ou outros líderes do país. Como dizem, uma imagem vale mais que mil palavras, e tal método mostrou-se bastante eficiente. A lavagem cerebral pela associação foi utilizada com muita freqüência, assim o governo iria associar a sua própria religião como boa utilizando lemas como "Deus abençoe a América", em seguida, demonizava outras religiões e países.
Outras pesquisas foram interrompidas mais uma vez, mas não porque o governo estava com medo de que as pessoas descobrissem essas mensagens subliminares, mas sim porque a CIA encontrou uma maneira melhor para fazer lavagem cerebral no povo. Ela foi chamada de "Operação Cegueira da neve". Quando uma antena de televisão não recebia sinal, o monitor exibia "estática", ou um padrão preto e branco gerado aleatoriamente por pontos, assim como a neve. Assim foi explicado para o público o que acontecia com a televisão, mas isso está longe da verdade. Já se perguntou porque a antena faz a televisão exibir esse padrão de movimentos pretos e branco, em vez de apenas uma tela em branco quando não recebe sinal?
Você pode dizer que não notou nenhum efeito olhando para a tela estática por um longo tempo. Isso porque apenas 1 em 100 milhões de pessoas podem realmente ver o que está por trás disso. A maioria de nós somos daltônicos, para ser mais específico, daltônicos para as cores preto e branco. Enquanto você pode dizer a diferença entre as cores comuns, para que você possa assistir suas notícias ou o seu programa favorito de TV, há pessoas que podem dizer a diferença de algumas cores em preto e branco, de tal forma que eles podem assistir outra notícia ou qualquer outra coisa que a maioria das pessoas da Terra não podem ver na estática.
A maioria das pessoas que não podem ver o "Projeto Cegueira da Neve" desligam a televisão, enquanto os poucos que podem vê-lo pensam que a sua antena está totalmente normal. Como a maioria das pessoas não podem perceber, nenhuma queixa foi levada a sério. Você pode perguntar o que esse projeto pode fazer para o governo se só aféta 1 em cada 100 milhões de pessoas. Bem, esse projeto não foi usado apenas como um dispositivo de propaganda, ele foi usado também como instrumento para treinar agentes adormecidos. 
As pessoas que não puderam se tornar agentes adormecidos, em vez disso, tornaram-se terroristas e assassinos em massa, dizendo que ouviram de seu deus instruções e permissões para cometer atos terríveis.


fonte: http://www.creepypasta.com/operation-snow-blindness/

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Olá amigos, tudo bem com vocês ?
Essa semana já temos uma historinha dos leitores, mas continuem mandando mais pelo meu e-mail: joaopangelico@gmail.com

A Tribo Belga

Meu avô serviu nas Operações Europeis durante a Segunda Guerra Mundial, uma experiência que ele raramente falava muito. Eu só consegui persuadir uma história dele. Ele me contou que um oficial de baixa patente (meu avô era soldado) e ele estavam viajando de jipe ​​em algum lugar na Bélgica, comum cache de munição necessáriaEles tomaram um caminho errado em uma estrada de terra ecomeçaram a ficar com pouco combustível. Meu avô e o tenente vagaram pelo lugar pedindo ajuda para alguns moradorespois os belgas eram muito solidários com os Aliados.
Eles avistara uma pequena aldeiacomposta de menos de uma dezena de cabanas de colmoe foram em direção a elaEles foram até um grupo de três homens vestidos de peles de animais, no qual um deles falou com raiva em uma língua que nenhum deles entendianão era francês, não era alemão, e certamente não era inglês. 
Não houve tempo para negociações, pois um dos três atirou uma pequena faca enferrujada. O tenente sacou a pistola .45 de volta e matou o homem enquanto ele avançava na direção deles, como se fosse atacar. Este ato assustou os outros dois e fugiram.
Eventualmente, eles repararam o jipe e encontraram seu caminho de volta para a base no dia seguinte.Um relatório foi arquivado, mas logo abandonado. No inverno seguinte, o tenente foi morto em uma barragem de artilharia, fazendo com que o meu avô fosse a única testemunha viva desse incidente.
Nós estávamos assistindo a um documentário sobre o desenvolvimento da linguagem, que falava especificamente sobre a língua saxonica, que há milhares de anos tinha sido desenvolvida em linguagens como Inglês e AlemãoO meu avô comentou que isso soava exatamente como as palavras que tinha ouvido naquele dia.


fonte: http://www.creepypasta.com/the-belgian-tribe/