domingo, 14 de setembro de 2014


´´Lilith, mãe das noites eternas, amada e adorada pelos servos do mal, aquela que nós segue por trás dos desejos mais profanos; ela, esposa do diabo, que antes deitava-se com Adão, mas agora deita-se com seus filhos.``

Você amante do oculto, aquele que se diz adorar o diabo ao invés de Jesus Cristo; você aquele que prefere a noite eterna ao invés do brilho do sol, nunca se perguntou: como o diabo iria dar vida ao seu filho?
Muitas pessoas acreditam que o termo ´´ filho do Diabo `` não passa de um tabu, uma lenda para assustar todos os infiéis que deixam de seguir suas igrejas.
Tolos, imundos, como ousam chamar Jesus Cristo de salvador, se nem conhece uma de suas primeiras criações, Lilith, aquela criada do barro para ser a amante eterna de Adão.
Se não fosse pela beleza e tentação de Lúcifer, todos nós seriamos filhos desse demônio que ousa usar uma face de uma bela mulher, entornada em ouro e charme sexual.
Ai daquele que desconhece a mãe de Mabus, filho da perdição, o destruidor de nações, seguidor de Hister, admirador eterno de Napoleão; Lilith, não suportava viver na presença de seu semelhante Adão, ela via fraqueza e dor, em Lúcifer, ela via prazer e riqueza.
Sim, ela via Deus em seus olhos; aquela que traria todos os seus desejos para a realidade imersa em sua existência... sim, ela queria ser uma deusa, mas como iria alcançar esse feito ao lado de Adão?
Sim, os anjos descobriram sua trama maligna, descobriram seus encontros com o filho da perdição, o anjo criado para levar a luz de deus; quando o pai do caos se rebelou contra seu criador, Ela se rebelou contra Adão, seu marido eterno.
Lúcifer se tornou Satã, Lilith se tornou Hecateou; a mãe de todas as abominações!

Hecateou, agora esposa do diabo, mãe de todas as desgraças do mundo, sim, mãe dos abortos, destruidora de lares, com ela não possui final feliz; sua felicidade e ver os filhos de sua substituta na miséria.
Ela ri de você ao lado de Satã, sim, eles tramam contra você; seus desejos sexuais, é ela que emana nas sombras para você... sua luxuria com a vizinha, seu desejo com a esposa do amigo, isso a alimenta; isso a dá mais forças para criar seu bastardo imundo.
Mabus, filho do caos, destruidor de nações, seguidor de Hister, admirador de Napoleão; ele esta vindo, forte e belo como seu pai, perigoso e sujo como sua mãe.

Ai daquele que chama Jesus Cristo de salvador e desconhece o poder de Lilith, mãe de todas as desgraças no mundo.

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Tudo acaba

Olá amigos e amigas, companheiros e companheiras.
Como devem ter percebido, o blog não é mais o que era antes, postagens se tornaram raras e perderam a qualidade. A razão de tal acontecimento é, eu perdi o que me motivava a continuar com tudo isso. Pode ser o início de algo maior em minha vida, já que não somente desisti do blog, também de várias coisas que ficava feliz em fazer.
Esse não é o fim do blog, eu espero, é apenas um dos postadores que ira parar, claro que eu carreguei o blog por um bom período de tempo, mas não sou o único e talvez depois de minha parada o blog volte com tudo.
Por várias vezes já tinha cogitado a ideia de jogar a toalha, mas os comentários de vocês sempre vinham na hora certa para me manter na linha, agora nem isso serve de luz para continuar trilhando esse caminho. Sempre fui o tipo de pessoa que faz o que faz dando tudo o que tem e, se não posso mais traduzir e postar aqui com tudo o que tenho, receio que seja melhor parar.
Se o brilho voltar aos meu olhos quando encarando a ideia de escrever para o blog, juro que voltarei correndo para vocês, mas por enquanto é isso.
Agradeço a todos, do fundo da minha alma, por me inspirarem a continuar pelo tempo que se passou, amo todos vocês.
Até.

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Lullaby Rock: Uma memória de Candle Cove


De certa forma, as crianças gostam de estar com medo. Elas não encontram algo assustador nas coisas divertidas, mas se algo dá uma vibração de bizarrice, isso vai virar a cabeça de uma criança e em vez de provocar sua inquietação e fazer ela se afastar, isso insere nela um sentido de aventura.

Candle Cove fez isso por mim. Talvez fossem os bonecos esquisitos. Talvez tenha sido os temas de cavernas assombradas, piratas assassinos. Talvez fosse a câmera estranha ou a má qualidade de som. Fosse o que fosse, eu tinha cinco anos de idade em 1971. Enquanto a mãe estava ocupada, eu me deparei com o show.

Eu estive lendo recentemente sobre essa teoria de que o show foi apenas um sinal estático, e esses rumores sobre este "episódio" que aparentemente, eu assisti no Canal 58. No entanto, não posso confirmar a existência do episódio, ou qualquer um dos episódios da segunda temporada. Afinal, eles só foram ao ar uma vez.

Na terça-feira, 21 de setembro de 1971, eu chegava da escola com minha mãe. Como não havia nada de particularmente interessante aos olhos de minha mãe na tv, então ela me deixaria assistir televisão, enquanto ela estava ocupada. Naquele dia, a tv estava no canal 58.

Era o episódio seis da primeira temporada, que pelo que eu descobri, era chamado de "Lullaby Rock". Apropriadamente, a premissa do episódio envolve Percy meditando sobre a linda canção dos "golfinhos" (que é cantado por uma mulher como música de fundo). O resto do episódio envolve Janice e Horace freneticamente tentando reparar seu navio antes que ele pudesse afundar.

Eles marcham até uma árvore estranha crescendo perto do pico da rocha montanhosa e decidiram que fariam dela a sua madeira, e uma grande tocha para fazer balizas de emergência, então Janice vai buscá-la. Em sua viagem, ela se depara com Susan.

Susan, era diferente da maioria dos outros personagens da série: Ela não era um boneco, mas uma atriz, com seu corpo e rosto eram pintado de verde, é seus lábios pintados com uma cor laranja vibrante. Ela estava vestida de uma forma bem inadequada para um programa infantil, os seios estavam escondidos por um sutiã metálico, e pequenas cadeias (provavelmente destinados para parecerem colares) que servem como as correias. Sua barriga coberta por uma "corrente" (obviamente feita de papel machê) grande presa a ela, e um a rocha por trás dela. A metade superior da cabeça, incluindo seus olhos e nariz, foram escondidos por um capacete para fazê-la parecer mais do estilo de "desenho animado".

Susan explica a Janice que ela foi condenada a séculos atrás, quando uma frota de navios quase se destruiram devido a seu hipnotico canto do sono. Janice lamenta pois ela não pode libertar Susan, mas promete voltar para avisar Susan se outro navio vinha para para resgatá-la. Susan concorda, e canta uma canção.

Naquele dia, eu chegava da escola. Lembro-me muito bem daquele dia. Eu lembro de estar cansado. Assim, seguindo o conselho de Susan, eu mudei a posição em que eu estava sentado no sofá, e senti meus olhos ficarem cada vez mais pesados. Apenas alguns segundos depois de minhas pálpebras fazerem minha visão ficar totalmente escura, eu ouvi o final da canção, e Susan dizer para Janice:

"Agora, veja isso."

Meus olhos se abriram, ansioso para ver o que tinha acontecido. Mas eu estava em outro lugar: O quarto era branco, assim como os lençóis da cama, várias máquinas me cercavam, elas estava "bipando" monotonamente. Um pequeno tubo enfiado no meu braço e conectado a uma bolsa pendurada com um líquido claro. Eu queria tocá-lo, mas tinha medo da dor. Eu queria gritar, mas um grande tubo tinha sido enfiado em minha boca. Eu queria chorar e chutar as paredes, mas eu estava muito fraco, então me contentei em soluçar. Depois de alguns minutos uma mulher em uma roupa branca correu e chamou um médico, é ele foi chamar minha mãe, e depois de terem me desconectado de todas as máquinas, ela me explicou que eu estava em coma há quase dois anos.

Então porque que a minha curiosidade só se reacendeu agora? Eu não tinha mais nada relacionado ao show. Os médicos nunca me deram uma resposta direta de porque isso aconteceu comigo, então quem mais poderia saber? Em torno de um mês após o funeral de minha mãe, eu estava dando uma olhada em alguns dos seus recibos de impostos quando eu encontrei um envelope vazio, da Nasa, datado 29 de dezembro de 1971.

fonte: http://www.creepypasta.com/lullaby-rock-a-candle-cove-memoir/

A Torre do Silêncio

As autoridades indianas se aventuraram em uma selva profunda, investigando vários relatos de pessoas desaparecidas em uma cidade próxima. O que eles encontraram foi uma "Torre do Silêncio", ou dakhma. Zoroastrianos usar esses locais para eliminar os corpos ao ar livre.

Enquanto sites como esses não são incomuns em algumas partes da Índia, várias peculiaridades sugeriram algo mais incomum.

1. Nenhum dos corpos representados na fotografia foram identificados. Moradores de perto, embora inicialmente surpreso com o grande número de cadáveres no dakhma, mostrou-se incapaz de reconhecer os corpos. Os cadáveres também não coincidiram com as descrições das pessoas desaparecidas.

2. Não havia animais ao redor, exceto para vermes e moscas. Zoroastrianos contam com urubus, a fim de eliminar os corpos, na crença de que estão os trazendo de volta para a Terra. Funcionários encontraram os cadáveres relativamente intocados por qualquer tipo de animal.

3. Não foi feita uma contagem oficial dos corpos. Na verdade, pouco trabalho foi realmente realizado no local e talvez, é por isso que só uma fotografia surgiu. Funcionários evitaram o local - não apenas porque se sentia desconfortável olhando para ele, mas também porque:

4. O poço profundo no centro da fotografia estava cheio de vários metros de sangue - muito mais do que os corpos do lado de fora poderia fornecer. O mau cheiro era tão insuportável que muitos dos funcionários começou a ficar enjoados quando primeiro se aproximou do dakhma.

5. A expedição foi encerrada quando um morador acidentalmente chutou um pequeno osso no poço, penetrando a superfície coagulada da piscina. Uma explosão maciça de gás da decomposição de sangue irrompeu do poço, espirrando aqueles que olharam para ele, junto com o fotógrafo.

Aqueles que foram pegos na explosão foram imediatamente enviados para o hospital, onde foram tratados de uma possível infecção. Eles ficaram delirando, com febre, gritando que "que estava sendo manchados com o sangue de Ahriman" (a personificação do mal em zoroastrismo), apesar de nunca ter admitido ter qualquer familiaridade com a religião.

Na verdade, muitos deles não tinham ideia do que era uma dakhma foi quando tinha sido encontrada. Muitos deles começaram a atacar a equipe do hospital até que eles foram sedados. A febre acabou matando todos eles.

Quando os oficiais voltaram no dia seguinte, o local estava vazio. Todos os corpos tinham sido removidos, e surpreendentemente, a piscina de sangue que estava no poço tinha sido drenado. Tudo o que restou desse incidente foi esta fotografia.

fonte: http://creepypasta.wikia.com/wiki/Tower_of_Silence

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Como ter sucesso sem realmente tentar

Ei, você. Sim, você. Quer ouvir uma história? Bem, considerando que você está sozinho em um bar. Não olhe para mim desse jeito! Mas, se você quer ouvir uma história, eu seria o cara para certo para contar. Eu costumava ser um escritor. Mas esses dias estão muito dificeís para mim. Então, sobre essa história ... Você quer ouvir? Vou tomar isso como um sim então.

Alguns anos atrás, eu estava em um grande problema. Eu era recém-saído da faculdade. De qualquer maneira, eu não tinha trabalho e meu senhorio estava pronto para me despejar. Para salvar minha vida, eu me arrastei até editoras Harper e Roe para que eu pudesse apresentar um de meus contos para seus editores. Era um conto sobre um assassino que pegava suas vítimas em bares, mas era só uma história!

De qualquer forma, eu estava no escritório de algum editor. Ele estava murmurando e escrevendo em um bloco de notas enquanto lia. Ele olhou para mim e acenou antes de voltar para a sua leitura. Meia hora depois, ele olhou para o meu manuscrito e fez sinal para que eu me sentasse.

"Olha, garoto, você tem coragem. Mas você precisa de muito mais...". Ele fez uma pausa

"Eu fiz minha parte e dei uma olhada. Mas eu honestamente não achei muito bom. Me desculpe, garoto."

Então ele se inclinou para trás em sua cadeira de couro e chamou o seu secretário.

Já era umas sete horas da noite, eu tinha mostrado a minha história para praticamente todas as editora de Nova York. Nenhuma delas aceitou meu conto. Eu cheguei em casa. Meu senhorio me deu o prazo de dois dias para pagar. Como eu ia vender essa história?! Derrotado, eu me arrastei para o meu apartamento. Arremessando minha bunda no sofá, olhei para o teto manchado de água.

Gritei para o gesso rachado, eu implorei para que qualquer poder, benevolente ou não, me concedesse a capacidade de escrever. Eu ofereci minha alma, minhas mãos, até o meu sapato esquerdo para ter um pouco de talento. Então, eu apaguei.

Deixe-me dizer, querida, acordar depois daquilo não era foi divertido. Minhas costelas doíam, e havia um buraco no meu peito, como se algo tivesse sido arrancado dele. Eu gemia e tropeçava em uma pequena quitinete do meu apartamento. Derramando uma xícara de café, me sentei na minha mesa minúscula. De repente, eu tive essa idéia. Isso era aterrorizante! Eu só tinha que escrevê-la!

Eu puxei meu laptop e começei a escrever. A pequena história de cinco páginas que escrevi naquela noite se tornou em uma antologia maior do que de Stephen King! Pense sobre isso, você pode ter ouvido falar dele.

Alguns cientistas russos mantinham as pessoas acordadas por dias... Enfim, vamos continuar, vamos?

Minha história sobre as experiências russas foi só o começo, eu estava produzindo na minha mente histórias que podiam manter pessoas acordadas por dias. Eles estavam de cabelo em pé. Os editores ficaram comendo na minha mão, implorando por meus manuscritos. Meu trabalho estava espalhado por praticamente todas as livrarias do país. Autores apresentaram o seu trabalho para mim na esperança de entrar em uma das minhas muitas antologias. Eu estava no topo e não uma única pessoa que poderia me derrubar.

Mas, apesar de todo o meu sucesso e da fama, eu tinha a sensação de que tinha perdido alguma coisa...

Um dia, após falar com meu agente, ele veio até mim. Ele estava na frente da minha mesa. Estava vestindo um terno Armani bem costurado. Ele parecia perfeitamente normal, perfeitamente humano. Eu queria nunca ter olhado para seus olhos incrivelmente verdes. Quanto mais eu olhava para ele, mais eu notei. Suas unhas eram longas e desgastadas, um tom perverso.

Ele tinha dois pequenos chifres em cada lado da testa. Então, ele falou para mim:

"Boa noite, senhor. Eu acredito que você me deve a sua alma."

De boca aberta, tentei protestar. Ele me silenciou e levantou sua a mão.

"Senhor, nós fizemos um acordo. Você me deu a sua alma e eu lhe dei talento. Agora, a sua alma, por favor"

Eu gaguejei.

"P-por favor ... Não me leve-e-e! Eu-eu-eu poderia encontrar outras!"

Ele sorriu, com sua língua bifurcada mexendo por seus dentes:

"É claro ... Se você me der outras almas, eu poderia libertá-lo"

O alívio assustado no meu rosto me fez deixar escapar um suspiro. Mas antes que eu pudesse agradecer, ele gritou para mim:

"Isso não vai ser tão fácil! Eu exijo uma alma humana por semana!"

"A contagem começa agora, senhor. Eu estarei esperando". Ele disse e foi embora.

Bem, essa é a minha história. Muito boa, não é? Agora, o que você diz que você e eu conversarmos um pouco? Vai ser divertido. Podemos tomar um pouco de vinho.

Você ficou tonto?

Talvez eu poderia pedir a sua alma?

fonte: http://www.creepypasta.com/how-to-succeed-in-publishng-without-really-trying/

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Mr. Mix


Alguém se lembra um jogo de PC antigo da década de 1990 chamado "Mr. Mix?" É um jogo de digitação onde você tem que digitar as palavras em uma caixa para fazer com que o "chef" coloque os ingredientes em uma tigela.

Ao contrário da maioria dos jogos de digitação, este jogo é notório por ter uma dificuldade estranha. Chegando ao nível cinco, o jogo fica impossível de vencer.

Uma das principais coisas que as pessoas notaram sobre este jogo foi a música de fundo. A música no primeiro nível foi um barulho macabro de rosnados que aumentam progressivamente ao decorrer do nível, muitas vezes causando danos a alto-falantes dos computadores que não foram projetados para lidar com volumes extremamente altos de som.

O segundo nível não tinha música e o terceiro tinha o que parecia ser uma gravação extremamente de baixa qualidade de um secador de cabelo tocando no fundo. Os restantes dois níveis tinha um toque extremamente alto, agudo, durante todo o nível que causou danos graves a orelhas daqueles que conseguiram chegar tão longe.

Outro aspecto bastante preocupante do jogo foi o desenho do Mr. Mix. Ele era um grande homem de rosto redondo, com excesso de peso com grandes olhos redondos e manchas vermelhas em seu rosto.

A maioria das crianças que jogaram o jogo relataram ter pesadelos vívidos com Mr. Mix falando-lhes em voz calma e rouca ameaçando-os a ficar em silêncio por alguma coisa. No entanto, nenhuma deles conseguia se lembrar exatamente o que era.

Um psicólogo que viu muitas destas crianças relatou ter sido perturbado pela enorme quantidade de terror no rosto das crianças, quando contaram os detalhes do pesadelo.
Muitas das crianças desabaram em lágrimas durante o processo, pedindo para seus pais "salvar" eles. No entanto, nenhuma relação direta com o jogo em si poderia ser determinada por esses poucos casos, como nem todas as crianças sofreram os mesmos efeitos adversos.

Por razões óbvias, este jogo não vendeu muito bem. Ele permaneceu em relativa obscuridade até poucos anos atrás, quando hackers pegaram a ROM do jogo de PC e começaram a "cavar" ela.

Usando o software de memória hacking, eles conseguiram decifrar o código do jogo e ignorar o quinto nível impossível. O que eles descobriram, no entanto, foi extremamente perturbador e levou muitos deles a sair da expedição por completo.

Segundo os relatos desses hackers deixados para trás, o jogo se comporta muito estranhamente se o quinto nível é ignorado. O jogo trava e fecha violentamente, escrevendo um monte de arquivos para o diretório System32 do usuário a ponto que a RAM fique quase completamente cheia.

Esses arquivos são supostamente imagens de pessoas com rostos horrivelmente deformados, aparecem a gritar de dor e agonia com os olhos parecendo estar sangrando de seus dutos lacrimais e sua camada externa da pele rasgada em vários lugares.

Se o usuário tenta excluir esses arquivos, o computador irá falhar violentamente e tela azul aparecerá, causando danos irreparáveis permanentes para o disco rígido do usuário.

Os hackers descobriram que isso foi causado por um byte solitário na ROM do jogo que desencadeou quando o quinto nível foi concluído. Após a remoção este byte, foram capazes de ir para o sexto nível e último.
Infelizmente, todos os hackers originais se recusar a discutir o que viram no último nível. Todos eles se tornaram extremamente paranóicos, recusando-se a falar sobre qualquer coisa relacionada ao jogo e mostrando sintomas incrivelmente extremos de stress pós traumático.

A maioria deles deixou de ser capaz de formar frases coerentes dentro de uma semana e, dentro de um mês, todos eles desapareceram. Todas as cópias restantes do jogo foram destruídos.
Até hoje, ninguém sabe o que foi nesse jogo que lhes causou tanto dano psicológico. Talvez seja melhor assim.

Dois anos depois deste incidente, um homem foi preso depois de tentar sequestrar uma menina de oito anos em um supermercado. Através do DNA e análise de impressões digitais, o homem foi identificado como um dos hackers originais que viram o nível final do jogo.
Ele estava usando um chapéu de "chef" branco e tinha um olhar de malícia indizível e insano em seu rosto. Quando interrogado, o homem só disse uma coisa:

"Eu sou o Mr. Mix. Shhh".

fonte: http://creepypasta.wikia.com/wiki/Mr._Mix

terça-feira, 2 de setembro de 2014

O Coelho da Páscoa

"Mãe", disse a menina, esfregando os olhos e de pé na porta do quarto de sua mãe. 

"Mãe, o coelhinho da Páscoa está comendo meu doce!", diz ela.

"Bobagem, querida", respondeu a mulher. "O coelhinho da Páscoa dá os doces, ele não os come..."

A mulher balançou levemente seu cabelo e continuou a falar: "Volte a dormir, querida..."

"Mas, mãe...", disse a menina. "O coelhinho da Páscoa está comendo o meu doce!" Ela agora falou em um tom mais sério, quase como se ela estivesse prestes a chorar.

A mãe sentou-se e abriu os braços. "Querida, eu já te disse. O coelhinho da Páscoa não come doces, ele os entrega para as crianças. Além disso, ainda não é mesmo Páscoa ainda. Volte a dormir", diz ela.

"Tudo bem, mãe", suspirou a criança enquanto ela se vira para sair da sala.

A mulher sorri e pensa consigo mesma: "Essas crianças tem uma imaginação..." e voltou a dormir.

No corredor, a menina ficou por um tempo olhando para o coelhinho da PáscoaEla então suspirou e diz para o coelho"Mamãe disse que eu deveria voltar para a cama."

O coelhinho da Páscoa sorri. "Boa ideia, criança. Vire-se e não olhe para trás."

Ele entrega para ela um pingente de metalEla pega e chora quando viu o que era: era uma coleira de cachorro com o nome "Doce".

fonte: http://creepypasta.wikia.com/wiki/Candy

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

A Canção do Anjo

Era 11:00 da noite, eu desliguei a televisão, escovei os dentes e subi para a minha cama. Por alguns minutos, tudo o que eu via era a escuridão, e tudo o que eu ouvia era o silêncio, mas, de repente, ouvi um som. Parecia um som de um borbulho líquido, e estava vindo do quintal. Tentei ignorar, mas esse som ficou mais alto e mais irritante, então eu fui para o quintal investigar o barulho estranho.

Eu não consegui encontrar nada, exceto a grama e as árvores, então eu decidi que era provavelmente apenas minha imaginação. Mas, então, aconteceu de novo. Tentei seguir o som estava, e isso me levou a um córrego, que borbulhava suavemente. A água estava limpa e pura, não escura ou marrom como a água de um lago não muito longe daqui. Eu senti uma dor na boca, e eu comecei a ficar sedento por água, então eu pensei, que mal poderia fazer? 

Eu coloquei minhas mãos, então eu levantei até os meus lábios e bebi a água, ela era fria e doce. A água tinha gosto de céu, ao contrário de qualquer água que eu nunca tinha experimentado. Então, eu decidi ir para a cama, mas minha visão ficou confusa e fiquei paralisado, e em seguida, completamente cego e paralítico. 

Eu caí no chão.

Eu acordei escutando uma música. Não como as músicas que você ouve no rádio, cantadas por artistas. Não, esta era um celestial canção cantada por uma beleza sobrenatural, um anjo. Eu deixei o ambiente desse hino angelical que vinha sobre mim como uma suave chuva na Primavera, e cada nota me levou mais alto, mais perto do céu. 

A voz que cantava essa música tinha uma melodia intemporal, um voz que me fez chorar. Tão encantadora, mas tão assustadora. Quando a música terminou, eu me levantei para ficar no meu lugar por alguns segundos, tendo tempo para compreender a beleza que meus ouvidos acabaram de testemunhar. Então, voltei a dormir.

Várias vezes, eu bebi daquela água da primavera, e cada vez, eu ouvia a mesma melodia, o mesmo hino angelical. Me sentia gradualmente me tornando cansado da vida mundana e desejei viver para sempre no plano eterno do céu.

Um dia, me aventurei novamente em meu quintal para beber água e ouvir a música de novo, e o habitual aconteceu. Bebi a água doce. Eu desmaiei. No entanto, a música que eu escutei para não era a mesma. Era uma sombra distorcida da bela música, uma espécie de encantamento, uma doentia e ameaçadora canção. A voz cantava em gritos distorcidos e irreais, com sons de demônios sendo torturados, uma canção tão cruel, vil e corrupta que me deixava enojado. Percebi, então, que quem estavaa cantando, ficava dizendo algo. Ele dizia:

"Demônios! Demônios! Venham, ataquem!"
"Não descansaremos que ele seja morto!"

Eu sabia que estava em perigo, então eu corri de volta para dentro e peguei minha espada, que meu pai me deu. Armado, eu mantive minha posição no quintal, matando os demônios mais grotescas que se podia imaginar. Eles tinham uma carne podre, e sangue e pus saíam de suas bocas e órbitas oculares, eles tinham olhos vermelhos e seis mil tentáculos. Mas eu matei todos eles, e fui triunfante contra as criaturas do abismo. Eu vitoriosamente caminhei de volta para me limpar no banheiro, mas meu coração parecia se afundar em meu estômago quando eu vi o meu reflexo:

Eu era um deles.

Eu sabia o que tinha que ser feito. Trêmulo, eu levantei a lâmina da espada contra o meu pescoço, e cortei minha garganta em um movimento rápido.

5 de agosto de 2011:

O corpo do falecido de Shaianne [último nome não mencionado], foi encontrado morta no banheiro de sua casa. Ela tinha sido cortada na garganta, e a arma do crime parecia ser uma espada, que foi encontrada no chão. Vários outros cadáveres foram encontrados no quintal.


fonte: http://www.creepypasta.com/the-angels-song/

terça-feira, 26 de agosto de 2014

A Frequência

No final de 1950, os cientistas descobriram algo acidentalmente, algo que não deveria existir. Desde então, esse fenômeno foi apelidado de "A frequência".

"A frequência" funciona numa base em que a exposição prolongada de som aumenta a potência de uma série efeitos, por exemplo, uma pessoa que foi exposta durante dez minutos teria certos efeitos à menos de uma pessoa exposta a uma hora.

"A freqüência" permanece em segredo, como a revelação de que, seus efeitos e sua origem são susceptíveis de causar pânico, mas nós vamos falar sobre isso no final.

Naturalmente, os cientistas responsáveis ​​pela frequência sentiram que seria melhor testá-lo, o primeiro teste (com duração de 20 minutos) não mostrou efeito imediato e nenhum tipo de ansiedade aguda, mas o teste 2 foi diferente...

O teste 2 durou uma hora de duração, pouco depois, a cobaia reclamou de estar vendo um nevoeiro na frente de seus olhos, e de sombras que vêm em sua direção vindo de fora da névoa, ele então pegou um bisturi e agarrou um dos cientista, cortando sua garganta antes de enfiar o bisturi em seus próprios olhos, tentando livrar-se de alguma coisa.

Naturalmente, os testes foram terminados e os arquivos sobre a pesquisa foram destruídos.

De qualquer forma, a parte mais importante foi que eu coloquei sua vida em risco por esperar tanto tempo para te dizer. Esta é a forma de identificar o som. Ele é um zumbido baixo e alto, ao ouvi-lo você deve ir embora, rápido. Embora provavelmente seja tarde demais, considerando o tempo que você teve lendo isso.

Você está prestes a experimentar o medo real.

Vamos analisar os fatos. "A frequência" é gerada em um lugar que poderia causar pânico em massa se descoberto, e faz você sentir medo e ansiedade, com um simples zumbido.

Tudo parece muito inconclusivo para mim, mas espere...

Que som é esse vindo do seu computador?

fonte: http://creepypasta.wikia.com/wiki/The_Frequency

sábado, 23 de agosto de 2014

Os Caminhos da Mente

Em 1983, um grupo de cientistas religiosos conduziram um experimento radical em um local desconhecido. Esses cientistas diziam que um ser humano sem o acesso a qualquer sentido ou forma de receber estímulos seria capaz de perceber a presença de Deus. Eles acreditavam que os cinco sentidos obscureciam nossa percepção da eternidade e santidade, e sem eles um humano poderia de fato estabelecer contato com Deus através dos pensamentos. 

Um homem idoso, que havia declarado não ter “nada mais pelo que viver”, foi o único voluntário para o teste. Para privá-lo de todos os sentidos, os cientistas realizaram uma complexa operação, na qual todas as conexões dos nervos sensoriais com o cérebro foram interrompidas cirurgicamente. Apesar do voluntário ainda possuir pleno controle muscular, não possuía mais visão, audição, paladar, olfato ou tato. Sem qualquer maneira de se comunicar com ou até mesmo notar o mundo ao seu redor, ele estava sozinho com seus pensamentos.

Os cientistas o monitoraram enquanto ele falava em voz alta sobre seu estado mental em sentenças confusas que ele nem mesmo podia ouvir. Após quatro dias, o homem declarou estar ouvindo vozes abafadas e ininteligíveis em sua cabeça. Assumindo que aquilo era o princípio de uma psicose, os cientistas deram pouca atenção às reclamações do homem. Dois dias depois, o homem gritou que conseguia ouvir sua esposa falecida conversando com ele, e que ele conseguia se comunicar de volta com ela. 

Os cientistas ficaram intrigados, mas não estavam totalmente convencidos, até que a cobaia começou a dizer os nomes dos parentes mortos deles. O homem continuou a dizer informações pessoais dos cientistas que só os companheiros e parentes falecidos deles poderiam saber. Nesse ponto, uma considerável parte dos cientistas abandonou o estudo com medo.

Após uma semana conversando com os mortos através dos seus pensamentos, o voluntário ficou angustiado, dizendo que as vozes estavam opressivas e enraivadas. A todo momento em que estava desperto, sua consciência era bombardeada por centenas de vozes, que se negavam a deixá-lo sozinho. Ele frequentemente se jogava contra a parede, tentando induzir alguma resposta através da dor. Ele suplicou aos cientistas por sedativos para que pudesse escapar das vozes dormindo. Essa tática funcionou por três dias, até que ele começou a ter terríveis pesadelos. A cobaia disse repetidas vezes que podia ver e ouvir os mortos em seus sonhos.

Apenas um dia depois, o voluntário começou a berrar e arranhar seus olhos inúteis, tentando sentir alguma coisa no mundo físico. A cobaia histérica passou a dizer que as vozes estavam ensurdecedoras e hostis, falando sobre o inferno e o fim do mundo. Em certo ponto, ele gritou “Nenhum paraíso e nenhum perdão” por cinco horas ininterruptamente. Ele continuamente pedia para ser morto, mas os cientistas estavam convencidos de que ele estava próximo de estabelecer contato com Deus.

Após outro dia, o voluntário não conseguia mais formar sentenças coerentes. Aparentemente louco, ele começou a arrancar nacos de carne de seu braço a mordidas. Os cientistas rapidamente correram para dentro da câmara de teste e o prenderam numa mesa, para que assim ele não pudesse se matar durate o experimento. Após algumas horas, o homem parou de lutar e gritar. Ele encarava o teto, enquanto lágrimas corriam por sua face. Por duas semanas, a cobaia precisou ser manualmente reidratada pois chorava constantemente. Eventualmente, ele virou o rosto e, apesar de sua cegueira, o homem fez contato visual focado pela primeira vez. Ele sussurrou: 

“Eu falei com Deus... É ele nos abandonou”. 

E seus sinais vitais cessaram. 

Não havia nenhuma causa de morte aparente no corpo.
fonte: http://creepypasta.wikia.com/wiki/Gateway_of_the_Mind