segunda-feira, 1 de setembro de 2014

A Canção do Anjo

Era 11:00 da noite, eu desliguei a televisão, escovei os dentes e subi para a minha cama. Por alguns minutos, tudo o que eu via era a escuridão, e tudo o que eu ouvia era o silêncio, mas, de repente, ouvi um som. Parecia um som de um borbulho líquido, e estava vindo do quintal. Tentei ignorar, mas esse som ficou mais alto e mais irritante, então eu fui para o quintal investigar o barulho estranho.

Eu não consegui encontrar nada, exceto a grama e as árvores, então eu decidi que era provavelmente apenas minha imaginação. Mas, então, aconteceu de novo. Tentei seguir o som estava, e isso me levou a um córrego, que borbulhava suavemente. A água estava limpa e pura, não escura ou marrom como a água de um lago não muito longe daqui. Eu senti uma dor na boca, e eu comecei a ficar sedento por água, então eu pensei, que mal poderia fazer? 

Eu coloquei minhas mãos, então eu levantei até os meus lábios e bebi a água, ela era fria e doce. A água tinha gosto de céu, ao contrário de qualquer água que eu nunca tinha experimentado. Então, eu decidi ir para a cama, mas minha visão ficou confusa e fiquei paralisado, e em seguida, completamente cego e paralítico. 

Eu caí no chão.

Eu acordei escutando uma música. Não como as músicas que você ouve no rádio, cantadas por artistas. Não, esta era um celestial canção cantada por uma beleza sobrenatural, um anjo. Eu deixei o ambiente desse hino angelical que vinha sobre mim como uma suave chuva na Primavera, e cada nota me levou mais alto, mais perto do céu. 

A voz que cantava essa música tinha uma melodia intemporal, um voz que me fez chorar. Tão encantadora, mas tão assustadora. Quando a música terminou, eu me levantei para ficar no meu lugar por alguns segundos, tendo tempo para compreender a beleza que meus ouvidos acabaram de testemunhar. Então, voltei a dormir.

Várias vezes, eu bebi daquela água da primavera, e cada vez, eu ouvia a mesma melodia, o mesmo hino angelical. Me sentia gradualmente me tornando cansado da vida mundana e desejei viver para sempre no plano eterno do céu.

Um dia, me aventurei novamente em meu quintal para beber água e ouvir a música de novo, e o habitual aconteceu. Bebi a água doce. Eu desmaiei. No entanto, a música que eu escutei para não era a mesma. Era uma sombra distorcida da bela música, uma espécie de encantamento, uma doentia e ameaçadora canção. A voz cantava em gritos distorcidos e irreais, com sons de demônios sendo torturados, uma canção tão cruel, vil e corrupta que me deixava enojado. Percebi, então, que quem estavaa cantando, ficava dizendo algo. Ele dizia:

"Demônios! Demônios! Venham, ataquem!"
"Não descansaremos que ele seja morto!"

Eu sabia que estava em perigo, então eu corri de volta para dentro e peguei minha espada, que meu pai me deu. Armado, eu mantive minha posição no quintal, matando os demônios mais grotescas que se podia imaginar. Eles tinham uma carne podre, e sangue e pus saíam de suas bocas e órbitas oculares, eles tinham olhos vermelhos e seis mil tentáculos. Mas eu matei todos eles, e fui triunfante contra as criaturas do abismo. Eu vitoriosamente caminhei de volta para me limpar no banheiro, mas meu coração parecia se afundar em meu estômago quando eu vi o meu reflexo:

Eu era um deles.

Eu sabia o que tinha que ser feito. Trêmulo, eu levantei a lâmina da espada contra o meu pescoço, e cortei minha garganta em um movimento rápido.

5 de agosto de 2011:

O corpo do falecido de Shaianne [último nome não mencionado], foi encontrado morta no banheiro de sua casa. Ela tinha sido cortada na garganta, e a arma do crime parecia ser uma espada, que foi encontrada no chão. Vários outros cadáveres foram encontrados no quintal.


fonte: http://www.creepypasta.com/the-angels-song/

3 comentários:

  1. Esse pessoal deveria parar com a maconha...

    ResponderExcluir
  2. Qual é!!! 6 mil tentáculos??fumaram tudo ou deixaram pra mim???

    ResponderExcluir