terça-feira, 1 de julho de 2014

Felpudo

Eu fui acordada do meu sono quando meu filho de 5 anos de idade, Kevin, pulou em cima de mim. Um pouco desorientado, ele me levou até seu quarto para descobrir o que estava acontecendo. Apontando para cima e para baixo na cama, Kevin gritou:
"O Felpudo voltou! ele voltou! "
Eu suspirei, esfreguei os olhos e olhei o relógio. Ainda nem era 6:00 da manhã. Kevin continuou a pular ao redor da cama. Até agora, o meu marido estava acordado e muito irritado. Ele olhou para o relógio, e, vendo o tempo, me olhou com raiva.
"Filho, você não pode esperar pelo menos até as seis da manhã", ele murmurou. Ele também estava dormindo profundamente.
"Felpudo voltou! Eu disse que ele ia fazer isso!" Kevin estava muito assustado. "Ele está de volta! Ele está de volta!"
"Felpudo", como ele chamava, era só um amigo imaginário de Kevin. Ele descreveu-o como uma criatura colorida que chegava em uma névoa mágica pela sua janela todas as noites. Kevin afirmou que ele poderia mudar as cores e até mesmo de forma. A única coisa estranha, porém, foi o fato de que Kevin dizer que "Felpudo não queria que você soubesse de suas visitas noturnas".
Às vezes eu sentia a necessidade de falar com o Kevin durante a noite, apenas para se certificar que tudo estava bem. Kevin tinha um sono muito leve, e eu não queria correr o risco de acordá-lo.
Kevin tinha parado de falar sobre felpudo há alguns meses atrás, ele tinha crescido e esquecido isso. Eu estava feliz. Eu era uma dona de casa, meu marido trabalhava na cidade e ficava fora o dia todo.
Me levantei da cama e sai do quarto, e disse para meu marido ir falar com Kevin. Enquanto fazia café da manhã, resolvi dar uma olhada no jornal. Um carro caiu na rodovia interestadual, e nenhum corpo foi encontrado. Uma rica senhora doou dinheiro ao estado para providenciarem algumas melhorias no parque ou algo assim, alegando que seu estado atual é "simplesmente inaceitável."
Houve um breve editorial perguntando porque as crianças estavam indo mal na escola. Um velho homem acusado de pedofilia que usava alucinógenos e outras drogas para atrair crianças, preso há três meses, foi libertado da prisão, pois não tinha provas suficientes.
Mais tarde naquele dia, eu estava no quarto de Kevin fazendo uma limpeza. Sentia um cheiro estranho em seu quarto. Decidi abrir a janela, pois estava me dando uma dor de cabeça e decidi respirar um pouco. Olhando para fora, vi Kevin no quintal brincando com alguns de seus brinquedos. Tinha chovido a noite passada, e o chão estava mole e lamacento, por isso fiz questão de avisá-lo para não brincar na lama. Baixei a cabeça e notei algo no chão, embaixo da janela.
Duas pegadas.. Eles não eram tão grandes, então eu não estava muito preocupada, ela só me incomodou, porque eu não conseguia pensar em nada que podia tê-las feito. Olhei para cima para perguntar a Kevin se ele sabia o que era, ele poderia tê-las feito.
Nada de mais aconteceu na semana. Meu marido e eu fomos para a cama às 10 horas em ponto, como de costume. Deixamos Kevin ficar acordado até mais tarde, se quisesse, para que ele pudesse brincar. Uma noite, ele ele contou que 'voou através das nuvens nas costas de felpudo'. Ficavamos felizes, porque a imaginação do nosso filho era saudável. Mas esse sentimento... aquela sensação nunca me abandonou.
A sensação de que algo estava errada. Eu estava na cozinha, tomando meu café, frequentemente olhando para o relógio. Passei a maior parte do tempo lendo o jornal.
Acostumado ao silêncio absoluto, eu me assustei quando ouvi uma "batida" vindo do quarto de Kevin. O relógio marcava 00:30. Eu não sabia como Kevin esperou tento tempo apenas para conversar com um amigo imaginário estúpido. Eu calmamente deixei minhas coisas em cima da mesa da cozinha. Fiz questão de evitar os rangidos na escada enquanto eu lentamente subia para a escuridão do segundo andar.
Quando eu cheguei ao degrau mais alto, ouvi a voz de Kevin no fundo do corredor.
Era agora óbvio que Kevin estava acordado. Ouvi outro barulho do quarto de Kevin enquanto eu lentamente fazia meu caminho pelo corredor. Pensei em gritar seu nome, mas decidiu não fazer isso, pois só serviria para alertá-lo de que eu estava chegando e ele iria fingir que estava dormindo.
A sensação de que algo estava errado cresceu. Um assobio suave vindo de seu quarto era audível. Cheguei à porta. Engolindo seco, eu silenciosamente segurei a alça, e a empurrei. A janela do quarto de Kevin estava aberta. E nela, uma escada. Abri a porta, e quase desmaiei.
Lá, no meio da sala, estava um homem nu, incrivelmente peludo, vestindo uma máscara de gás. Ele estava assoprando um gás alucinógeno no nariz de Kevin.
fonte: http://www.creepypasta.com/fuzzy/

4 comentários:

  1. Pedofilo filha da puta '-'

    ResponderExcluir
  2. pedofilo filha da puta(2) '-'

    ResponderExcluir
  3. Ual. Creepypast muito boa. E assustadora.
    Pedófilo filho da puta ( 3 )

    ResponderExcluir