quarta-feira, 9 de abril de 2014

Olá amigos, tudo bem com vocês ?
Essa semana já temos uma historinha dos leitores, mas continuem mandando mais pelo meu e-mail: joaopangelico@gmail.com

A Tribo Belga

Meu avô serviu nas Operações Europeis durante a Segunda Guerra Mundial, uma experiência que ele raramente falava muito. Eu só consegui persuadir uma história dele. Ele me contou que um oficial de baixa patente (meu avô era soldado) e ele estavam viajando de jipe ​​em algum lugar na Bélgica, comum cache de munição necessáriaEles tomaram um caminho errado em uma estrada de terra ecomeçaram a ficar com pouco combustível. Meu avô e o tenente vagaram pelo lugar pedindo ajuda para alguns moradorespois os belgas eram muito solidários com os Aliados.
Eles avistara uma pequena aldeiacomposta de menos de uma dezena de cabanas de colmoe foram em direção a elaEles foram até um grupo de três homens vestidos de peles de animais, no qual um deles falou com raiva em uma língua que nenhum deles entendianão era francês, não era alemão, e certamente não era inglês. 
Não houve tempo para negociações, pois um dos três atirou uma pequena faca enferrujada. O tenente sacou a pistola .45 de volta e matou o homem enquanto ele avançava na direção deles, como se fosse atacar. Este ato assustou os outros dois e fugiram.
Eventualmente, eles repararam o jipe e encontraram seu caminho de volta para a base no dia seguinte.Um relatório foi arquivado, mas logo abandonado. No inverno seguinte, o tenente foi morto em uma barragem de artilharia, fazendo com que o meu avô fosse a única testemunha viva desse incidente.
Nós estávamos assistindo a um documentário sobre o desenvolvimento da linguagem, que falava especificamente sobre a língua saxonica, que há milhares de anos tinha sido desenvolvida em linguagens como Inglês e AlemãoO meu avô comentou que isso soava exatamente como as palavras que tinha ouvido naquele dia.


fonte: http://www.creepypasta.com/the-belgian-tribe/

Um comentário:

  1. Legal a história. Não chega a dar medo, mas é um fato bem peculiar.

    ResponderExcluir